videomonitoramento

De acordo com o tenente Sérgio Mamede, instalação das 26 câmeras terá importância equivalente ao acréscimo de 26 policiais na corporação (Foto: Diego Vilela/Canguçu On Line)

Comissão Pró-Bombeiros investiu R$ 17 mil em obras de adaptação do prédio localizado na rua Glicério Boaventura, no Centro

A comunidade de Canguçu está engajada no projeto que pretende instalar 26 câmeras de segurança em pontos estratégicos da cidade. Em 2013, foi criada a Comissão Pró-Bombeiros, liderada pela Associação do Comércio, Indústria e Serviços de Canguçu (Acican) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), com o objetivo de arrecadar recursos para acelerar a instalação de uma unidade do Corpo de Bombeiros no município. Os incêndios registrados em supermercados e lojas em anos anteriores, somados ao caso da Boate Kiss, em Santa Maria, onde morreram 242 pessoas, em janeiro daquele ano, motivaram as entidades a buscar mais prevenção em prédios e locais de grande circulação de pessoas.

Presidida pelo empresário Marcus Barbosa, a Comissão angariou cerca de R$ 30 mil em mais de um ano de mobilização, com apoio do Rotary Club, entidades, empresas, clubes sociais, CTGs e colaboradores. Como o projeto de instalação dos Bombeiros encontra-se parado — um dos entraves são as despesas de construção do prédio para a corporação, embora o caminhão esteja liberado e permaneça sem utilização em Pelotas — o Poder Executivo sugeriu ao grupo, em 2014, que o investimento fosse feito na segurança pública, mais especificamente na sala de comando e videomonitoramento das câmeras de segurança, a ser instalada na Brigada Militar. O avanço do projeto estava ligado à disponibilidade de uma estrutura como esta.

Para comportar a ilha de televisores que vão receber em tempo real as imagens captadas pelas 26 câmeras, o prédio da BM, localizado na rua Glicério Boaventura, no Centro, precisaria passar por uma ampla reforma. O sistema elétrico, por exemplo, estava comprometido.

— A rede de energia era monofásica, não suportava o uso de equipamentos como computadores e ar condicionado. Fizemos um novo projeto elétrico, com rede trifásica, que agora suporta uma carga quatro vezes maior que a anterior. Também substituímos todo o sistema de iluminação e as tomadas. O prédio está pronto — comenta o engenheiro civil responsável pela obra, Ederson Canielas.

O investimento de R$ 17 mil por parte da Comissão Pró-Bombeiros permitiu a adequação da estrutura para suportar o uso de equipamentos de alta tecnologia.

— Como cidadão, desejamos ver as câmeras funcionando o quanto antes. Felizmente, nossa cidade ainda não tem muita criminalidade, mas os casos de vandalismo estão crescendo de forma assustadora — alerta Marcus Barbosa, que também é diretor administrativo da Acican.

O empresário ainda observa a significativa redução dos índices de criminalidade em municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre, alcançados com a instalação de câmeras de segurança, que inibem as ações dos bandidos.

— Quando as 26 câmeras estiverem instaladas, é como se a nossa corporação recebesse um aumento de 26 policiais no efetivo, para termos ideia do avanço. É como se tivéssemos um policial vigiando cada ponto onde tem um equipamento destes — calcula o tenente da Brigada Militar de Canguçu, Sérgio Mamede.

O fato de ter a circulação de pessoas e carros registrada em imagens deixa o serviço mais preventivo e inteligente, segundo o tenente.

— Quando identificarmos um carro suspeito, por exemplo, vamos obter, em tempo real, informações das características do veículo e consultar a placa, os locais visitados, horários e direção do deslocamento. Todos estes recursos agilizam o nosso trabalho e aumentam a segurança da comunidade.

Com a sala preparada, a Prefeitura de Canguçu terá a missão de colocar em funcionamento o serviço. De acordo com a Secretaria de Planejamento, Meio Ambiente e Urbanismo, o projeto está concluído e aguarda o processo de licitação. Também já conta com aprovação da Secretaria de Segurança do Estado e do Ministério da Justiça.

— Aguardamos somente a aprovação, pela Câmara de Vereadores, da abertura de Crédito Especial no orçamento de 2015, para que possamos dar início à licitação. Projetamos a implantação e funcionamento até o final deste ano, sendo necessário que apareçam empresas interessadas e habilitadas para a implantação da tecnologia — atesta a titular Aline Nunes.

O recurso de aproximadamente R$ 1,1 milhão é oriundo de Emenda Parlamentar do deputado federal Fernando Marroni (PT) e será utilizado para implantação de todo o sistema de videomonitoramento, ou seja, na aquisição e instalação das câmeras de segurança, fibra óptica, rádios, postes, sala de videomonitoramento, bem como para treinamento e manutenção, além de outros equipamentos necessários.

Para que a tecnologia seja aliada ao trabalho operacional, estão sendo adotadas medidas para não haver desfalque no efetivo da Brigada Militar.

— Firmamos um convênio através do qual o município se comprometeu em auxiliar com dois funcionários para o monitoramento, sendo que os demais ficarão a cargo da Secretaria de Segurança Pública do Estado, ou seja, serão policiais militares. O município tem feito reuniões regulares com o secretário responsável pela pasta, solicitando o deslocamento de maior efetivo, a fim de auxiliar no monitoramento.

Do prédio recém-reformado da Brigada Militar, sairão informações privilegiadas de áreas estratégicas do município, definidas a partir de uma reunião que contou com a presença da Brigada Militar, Polícia Civil, Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro).

— Foram priorizados pontos considerados de risco, áreas de grande fluxo de pessoas e eventuais rotas de fuga do Município —  explica a gestora.

Os equipamentos deverão ficar em três pontos de saída da cidade: no trevo principal de acesso à BR-392, no trevo de acesso à ERS-265, próximo à escola Geraldo Antônio Telesca, e no trevo de acesso ao bairro Vila Nova pela Nutrisa. As outras 23 câmeras ficarão espalhadas em diversos pontos da cidade, como na Avenida Vinte de Setembro e no Ginásio Conrado Ernani Bento.

Informações: Diego Vilela – Canguçu On Line